Encontre a luz em meio as trevas!

O que você entende por rock? Satanismo? Ódio? Intolerância? Se pensa assim, você está totalmente errado. Assim como toda forma de música, o rock pretende passar uma mistura de coisas, sentimentos e ideologias. Ninguém precisa seguir essas ideologias e sentimentos. Quem segue à risca é só uma pequena fatia, para nós só interessa o som, ou seja aqui no blog pretendemos mostrar exemplos da boa música, focando no rock, mas sempre passeando pelo metal, e as vezes pelo blues e pelo jazz. Bom proveito.

sábado, 11 de agosto de 2012

Recomendação da Semana - Tommy Bolin, Teaser

Sem nenhum pingo de dúvida, Tommy Bolin é um dos guitarristas mais injustiçados da história. Ainda não sei o porquê. Em meio as especulações, algo me diz que é preconceito, já que a maioria dos que dizem mal do Bolin, só conhecem ele como "o substituto de Blackmore", não como "o cara elogiado pelo Jimmy Page" ou "o provável sucessor de Hendrix". Talvez o último título seja um pouco de exagero, já que alguns guitarristas já foram condecorados assim, porém Bolin, quando tocava por sua primeira banda, Zephyr, abriu um show para o Led Zeppelin (!!!), e após sua performance, o próprio Page foi parabenizar o jovem Bolin. Talvez o motivo de tal preconceito, seja sua passagem pelo Deep Purple, apesar do excelente Come Taste the Band, várias performances "live" deixavam muitos questionamentos quanto seu talento (shows na Indonésia, Japão e Inglaterra são exemplos disso), porém é necessário saber, que nesse meio tempo, Bollin estava em uma fase de recuperação do abuso de heroína. Porém em meio a todo rebuliço provocado pelo Come Taste The Band, Bollin trabalhava em seu primeiro álbum solo, um álbum de música de verdade, que misturava Rock, Jazz, Funk, Música Latina (!), Blues e um toquezinho aqui e ali de Reggae. Parece complicado alguém fazer um álbum de apenas 9 músicas e cerca de 38 minutos ter tudo isso? Pois então, Tommy Bolin fez, e muito bem. Apresento-lhes, Teaser.


Um álbum tão eclético e bem feito como esse é realmente difícil de analisar faixa-a-faixa, porém irei tentar fazê-lo.
1- The Grind
Música animadinha, bem groovy, com uns toquezinhos de rock, além de um refrão cativante e um solo interessante do Bollin no final. Técnica aliada ao feeling. É uma faixa legal para animar, porém é a mais fraca do álbum.

2- Homeward Strut
Excelente música, a influência do fusion é clara aqui, além de todo o experimento de Bolin (introdução de sintetizadores com um leve toque moderno, uau, que vanguarda, solo de bongô). A música também possui umas partes mais funks, bem cadenciadas e com uma levada incrível. Destaque também para, é claro, o Tommy Bolin, seus solos são de arrepiar. Como esse cara era subestimado.

3- Dreamer
Essa música surgiu uns três anos antes do Teaser, para as gravações do álbum (que nunca aconteceu) da banda de fusion de Bolin, Energy. Essa faixa merece destaque especial pelos vocais. A versão demo (do Energy), foi cantada pelo amigo de Tommy, Jeff Cook, porém por algum motivo, para esse álbum, Bolin resolveu cantar, e cantou muito bem. Perceba, apesar de ser uma baladinha cheia de emoção, ele não grita em nenhum momento, e seu vocal e encaixa perfeitamente. Além de ter sido um dos maiores guitarristas que já ouvi, foi um excelente vocalista. Outros destaques dessa faixa: 1. O solo - Que solo, Bolin transborda de feeling e faz um de seus solos mais bonitos, o delay é fantástico e ele toca com velocidade e precisão. 2. Glenn Hughes - O último verso da canção, quem canta é ninguém mais ninguém menos que o amigo de Bollin e companheiro de Purple, Glenn Hughes, ele canta muito, e nessa música, temos a prova. Nota: Hughes não foi creditado no álbum, só nos agradecimentos.

4-Savannah Woman
Outra grande música, uma música com vários toques latinos, passando várias vezes pela bossa nova, destaques são o solo, novamente Bolin mostra que não é só mais um entre vários; o outro destaque é a parte que cita o Rio de Janeiro, "Brazilian winds blows warm in Rio/A white state they call the nada". Cada vez mais o álbum fica mais e mais eclético. Uma música que impõe respeito, sem dúvidas nenhuma.

5-Teaser
A faixa título é muito boa. Um funk rock com algumas pitadas aqui e ali de hard rock. Lembra até um pouco o trabalho dele com o Purple, novamente Bolin se destaca pela sua guitarra, o riff é excelente e o solo é o característico dele, cheio de delay e muito rápido, porém com muito feeling. O refrão da música também é excelente e a levada da música impressiona. Com certeza seria um clássico.

6-People, People
Eis que voltam as influências jazzísticas de Bolin, contando com o saxofone de Dave Sanborn. A música também tem uns toquezinhos reggaes, não sei bem como classificar essa música. Extremamente eclética. Também temos bongôs, fazendo com que o latino retorne ao álbum. E claro! Não podemos esquecer do próprio Bolin, novamente ele faz um excelente trabalho vocal, assim como enquanto uma fusão de ritmos ocorre, sua guitarra continua forte, constante e poderosa. Outra música que impõe respeito.

7-Marching Powder
Jazz Fusion. É sem dúvidas jazz fusion, e que excelente fusion! Novamente o sax de Sanborn está presente, junto com os synths de Jan Hammer, colega de Bolin no álbum Spectrum (Billy Cobham). Essa música possui uma combinação de elementos incrível. Bolin estava tocando que nem um louco em suas improvisações no solo, Sanborn e Hammer acompanhavam Bolin de perto, tocando com velocidade e categoria. A percussão também é eletrizante. Muito rápida, muito contagiante. Que música.

8-Wild Dogs
Bolin faz mais um ótimo desempenho vocal e nas seis cordas. Um "rock clássico", por assim dizer, com uma guitara hard rock e uma levada excepcional. Não sei se é correto dizer que essa música tem um refrão, porém a parte que se repete, é muito boa, e o solo é mais feeling do que técnica, porém ainda sim excelente. Curiosidade: Como Teaser foi gravado junto ao Come Taste The Band, Bolin não teria tempo de divulgar seu material em uma turnê, então a rapaziada do Purple tocava essa música na maioria das apresentações para ajudar Bolin.

9-Lotus
Não sei muito bem como resenhar essa música, de tão incrível que ela é. A música favorita de Glenn Hughes, e provavelmente a minha também. Como não sei o que dizer dessa música, deixe ela falar por si mesma:
---

É uma pena que a carreira do Bolin tenha sido tão curta. Após lançar seu segundo álbum solo, Private Eyes, em 1976, ele excursionou com Jeff Beck, e após uma apresentação, morreu de overdose de heroína e várias outras drogas.
R.I.P. Tommy Bolin.

Nota do álbum: 10
Download: http://www.4shared.com/rar/dD27rqD_/Tommy_Bolin_-_Teaser.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário